Confederação Nacional das Associações de Família | Dia Mundial da Criança 2018
21931
post-template-default,single,single-post,postid-21931,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,select-child-theme-ver-1.0.0,select-theme-ver-3.8.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Dia Mundial da Criança 2018

Dia Mundial da Criança 2018

 

Hoje, dia 1 de junho de 2018, também é dia de irmãos

Neste ano em que mais uma vez festejamos o Dia Mundial da Criança, bem como comemoramos a proclamação da Declaração Internacional dos Direitos da Criança (1959) e, igualmente, a Convenção dos Direitos da Criança (1989), todos estes eventos iniciaram as suas atividades em 1946 através de um Fundo de Emergência criado para ajudar as crianças de todo o mundo, promovendo os seus direitos e melhorando a sua vida em toda as situações.

Está-se ainda no fim da Segunda Guerra Mundial e as situações que as crianças vivem e sofrem são ainda de horror e de medo.

A Segunda Guerra Mundial termina em 1945. O Ano de 1946 é ainda um ano de grandes sofrimentos em que milhões de crianças estavam órfãos e perdidas em países que não eram os deles, sem família, sem pão, e cheios de terror, tantos tinham desaparecidos nos fornos crematórios dos campos de concentração, outros sobreviviam por milagre.

Neste ano de 2018, setenta e dois anos após a criação da UNICEF quantos milhões de crianças continuam a ser mortas, a desaparecer, a serem abusadas e torturadas em tantas regiões do mundo?

Só em 20 de novembro de 1989 é assinada a Convenção Internacional dos Direitos da Criança, “que é um tratado que visa a proteção de crianças e adolescentes de todo o mundo”, foi aprovado pela resolução 44/25 da Assembleia Geral das Nações Unidas, Foram signatários 140 membros das Nações Unidas mas só entra em vigor em 2 de setembro de 1990”.

Nesta triste história da II Guerra Mundial em que tantas solidariedades e milagres aconteceram, apesar dos crimes praticados também muitas maravilhosas histórias ocorreram. Quantos países, instituições, pessoas e corações se abriram e acolheram órfãos, crianças perdidas, estropiadas, sofridas pelas perdas que não eram capazes de esquecer, a CNAF – Confederação Nacional das Associações de Família considera que as Famílias Portuguesas deveriam ser dos primeiros países a contar aos seus filhos, as histórias de heroicidade e de amor lembrando as muitas Famílias Portuguesas que acolheram centenas dos órfãos principalmente vindos de Áustria que em Portugal encontraram uma família e o muito amor que a Guerra lhes tinha roubado. Hoje ainda hoje são recebidas cartas maravilhosas de agradecimento.

O dia 1 de junho não é “só” festejos e presentes para os nossos filhos e netos.

Para criar um mundo melhor é necessário contar as histórias maravilhosas que se viveram e que, ainda hoje, fazem parte integrante da nossa memória e do nosso património, como foi o acolhimento aos que muito sofreram, o que faz faz parte da nossa identidade. Timor é um testemunho, como o é os refugiados que continuam a chegar a Portugal.

Hoje também é o dia de todos estes nossos irmãos.

Lisboa, 1 de junho de 2018

A Presidente

Maria Teresa da Costa Macedo

 

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.